Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Secretaria Municipal de Saúde alerta sobre cuidados com morcegos

Publicada em 02/07/2022

  • Secretaria Municipal de Saúde alerta sobre cuidados com morcegos

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Vigilância Ambiental em Saúde, orienta a população a respeito dos cuidados que se deve ter ao entrar em contato com morcegos. Os animais, embora possam transmitir doenças para os seres humanos, não devem ser mortos, pois sua existência é importante para o equilíbrio ecológico, além de serem protegidos por lei ambiental.  

Segundo a Enfermeira, Tamara Lorenzon, os morcegos combatem insetos e aracnídeos e auxiliam na reprodução de plantas, por meio da polinização e dispersão de sementes. Também são agentes transmissores da histoplasmose, doença respiratória transmitida pela inalação de partículas fúngicas presente nas fezes secas, da raiva, causada por um vírus e transmitida pela saliva do morcego e outros animais infectados, como cães e gatos, e da salmonelose, doença letal adquirida pela ingestão de alimentos contaminados com fezes.

“A espécie mais comum de morcegos, são os herbívoros que não representam perigo para seres humanos, desde que não sejam ameaçados. Estes animais gostam de lugares com pouca iluminação, de preferência úmidos e por isso, costumam se instalar em partes da casa como forro e telhados”, diz Tamara.

Tamara explica que os morcegos têm hábitos noturnos e, portanto, ficam entocados durante o dia, mas saem para se alimentar à noite. Existem dois tipos de morcegos:

Frugívoros, nectarívoros ou insetívoros: normalmente se encontram nas cidades, se alimentam de frutas, néctar das flores insetos e pequenos animais como lagartixas, rãs, camundongos, etc.

Hematófagos: vivem na zona rural, se alimentam de sangue de animais como vacas, cavalos, animais silvestres e, acidentalmente, podem se alimentar de sangue humano.

Naturalmente, todas as espécies de morcego seguem um padrão comportamental ao longo do ano, que pode ser resumido desta forma:

• Inverno: a época da hibernação e, portanto, quando provavelmente deixam a sua residência para procurar um local mais apropriado;

• Primavera: quando acordam, tem um período ativo de caça e procriação, uma época em que será possível observar todos os pontos de entrada e saída;

• Verão: a época da ninhada, um período menos propício para tentar expulsar a colônia de sua casa;

• Outono: lentamente a atividade diminui, até o inverno, quando o ciclo recomeça.

Dentre as dicas caseiras para evitar a aproximação dos morcegos, estão:

Naftalina: é um ótimo repelente de morcegos, mas funciona melhor em ambientes de baixa ventilação; Balões de Hélio; Papel Alumínio; Barulho e luminosidade do papel os afastam; Luzes e Espelhos; Spray de Água; Decoração de Natal: bolinhas de natal afastam pela luminosidade e brilho; Canela em Pó e fragrância de eucalipto.

“Sempre que um morcego é encontrado caído na rua, a Vigilância deve ser acionada, pois ele deve ser recolhido e passar por exames, para que se verifique se estava com alguma doença que pode pôr em risco o ser humano”. Mais informações podem ser adquiridas na Vigilância através do telefone 3324 3600.

Com informações da SMS

Rádio Jornalismo - Rádio Cruz Alta 

Grupo Pilau de Comunicações


UNINTER
NETFACE
Eduardo Amaro Pilau

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface