Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Hemocentro estimula doadores a fazerem cadastro de medula óssea

Publicada em 27/08/2021

  • Hemocentro estimula doadores a fazerem cadastro de medula óssea

Milhares de pessoas aguardam na fila por um transplante de medula óssea, indicado para casos de leucemias, linfomas e anemias. No entanto, a chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil. Por isso é importante que novos doadores se cadastrem. O Hemocentro Regional de Cruz Alta, além de receber doações de sangue, também realizar o cadastro de possíveis doadores de medula óssea. Atualmente existem cerca de 17.500 doadores cadastrados no REDOME. A Coordenadora do Hemocentro, Angélica Trentini, conta que, em média, 15 doadores por semana, fazem o cadastro.

“Quanto maior o número de cadastrados, existem mais chances de encontrar alguém compatível. Buscamos sensibilizar as pessoas que vêm fazer doação de sangue, a também realizarem o registro para a doação de medula e assim, aumentar o nosso cadastro”.

Duas portarias publicadas no final de junho, pelo Ministério da Saúde alteraram as regras para cadastro no Registro Brasileiro de Doadores de Voluntários de Medula Óssea (Redome). Entre as mudanças, está a redução da idade máxima para doar medula óssea, que passa a ser de 35 anos. Até então, podia ser realizada por pessoas de 18 a 55 anos. Outra alteração é a definição de um limite de novos cadastros anuais por estado.

Para ser um doador, a pessoa deve procurar o Hemocentro e preencher um cadastro. No local, será colhida uma amostra de 5 ml de sangue para fins de análise e classificação do antígeno leucocitário humano (HLA) e realizado o devido registro no Redome. O cadastro é único, ou seja, o possível doador precisa fazer apenas uma vez

“No momento do cadastro, é registrada somente a intenção em ser doador. A pessoa só será doadora, se houver uma compatibilidade do HLA dela com o HLA do paciente (100%). O Instituto Nacional de Câncer (INCA), é o responsável pelo cruzamento entre os bancos de dados do Redome e do Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme), para verificar a compatibilidade entre os doadores e os pacientes”.

Caso seja identificado algum paciente compatível com o doador, este será convocado para coleta de amostra de sangue, para realização de uma rodada de exames de compatibilidade e aptidão para doação. Comprovando-se essa compatibilidade, o doador será encaminhado para um centro transplantador.

O candidato à doação de medula óssea deve manter as informações do cadastro, como endereço, telefone e nome, atualizadas no site do Redome, para que possa ser localizado em caso de ser compatível com algum paciente.

Angélica ressalta que o transplante de medula óssea existe para atender aqueles pacientes que, depois de todo o tratamento, não conseguiram ter as respostas esperadas, o que torna o transplante como única alternativa, a exemplo de pacientes com leucemia. 

Para fazer o cadastro, basta procurar o Hemocentro que fica localizado na Rua Barão do Rio Branco, número 1445. Mais informações também podem ser buscadas pelo telefone 3326 3168. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h.

Fonte: Prefeitura Municipal de Cruz Alta

Rádio Cruz Alta - Aplicativo
UNINTER

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface