Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

SMDR alerta produtores sobre vacinação contra Brucelose

Publicada em 11/08/2021

  • SMDR alerta produtores sobre vacinação contra Brucelose

A vacinação é um dos métodos mais eficazes na prevenção de doenças. No Brasil, o Ministério da Agricultura preconiza a imunização obrigatória para determinadas doenças, como a brucelose, doença infectocontagiosa crônica provocada por bactérias que atinge bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos, entre outros, e pode ser transmitida para humanos. Neste sentido, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, alerta os pecuaristas para a importância da vacinação e o cuidado no contato com animais.

Segundo a Médica Veterinária da Secretaria, Ludmila Noskoski Salazar, é obrigatória a vacinação de todas fêmeas bovinas e bubalinas de três a oito meses de idade. Esta medida serve para evitar futuros problemas reprodutivos dos animais e também a contaminação de humanos. “Todas as bezerras, sendo de propriedades leiteira ou de corte, precisam ser vacinadas, justamente para estarem protegidas contra a brucelose”.

A profissional explica que, para a vacinação dos animais da propriedade, o produtor familiar precisa fazer a solicitação diretamente na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, localizada na Rua General Câmara, número 347, esquina com a Rua Coronel Pillar, onde o proprietário retira um receituário para efetuar a compra em uma casa agropecuária credenciada. Posterior a isto, ele comunica a SMDR, da qual faz o agendamento para a aplicação da vacina pelos profissionais, na propriedade.

SOBRE A BRUCELOSE

Em vacas, a brucelose provoca aborto ou o nascimento de animais fracos ou mortos. O homem, de acordo com a veterinária, se infecta pelo contato do agente com mucosas ou ferimentos. Outra fonte de contaminação importante para a população em geral é a ingestão de alimentos contaminados, entre eles o leite cru, produtos lácteos preparados com leite cru e carne crua ou mal cozida. A prevenção da brucelose humana depende essencialmente do controle da brucelose animal. Em países onde a brucelose animal foi controlada observou-se uma redução acentuada na ocorrência de brucelose humana.

“A vacinação também evita a transmissão da doença ao consumidor, através do leite ou da carne. Por isso, fizemos um alerta para que as pessoas não façam o consumo de produto clandestino, já que, muitas vezes, os animais de origem podem não ter sido vacinados, transmitindo, ocasionalmente, a doença”.

Conforme Ludmila, a vacina é aplicada exclusivamente por médico veterinário, oficial ou autônomo cadastrado na Secretaria Estadual de Agricultura. Ele emitirá o atestado de vacinação das fêmeas bovinas e/ou bubalinas. A identificação das fêmeas vacinadas entre 3 a 8 meses de idade é obrigatória, utilizando-se o ferro candente ou nitrogênio líquido.

Os produtores que descumprem a obrigatoriedade de vacinação estão sujeitos à penalidades como impedimento de retirar animais da propriedade, independente da categoria a ser movimentada, e aplicação de auto de infração e multa.

Mais informações podem ser adquiridas através do telefone 3322-8833.



Fonte: Prefeitura Municipal de Cruz Alta

Rádio Cruz Alta - Aplicativo
UNINTER

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface