Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Operação Quebrando a Banca apreende dinheiro, celulares e mais em Cruz Alta

Publicada em 04/10/2019

  • Operação

A Polícia Civil desencadeou na quinta-feira, 3 de outubro, a Operação Quebrando a Banca, nos municípios de Cruz Alta, Uruguaiana e Barra do Quaraí. Sob a coordenação do Delegado Enio Roberto Tassi, a operação teve apoio do Departamento de Polícia do Interior, e policiais da 4ª Região Policial com sede em Alegrete; 5ª Região Policial, com sede em Cruz Alta/RS, 21ª Região Policial com sede em Santiago/RS, 26ª Região Policial, com sede em Ijuí/RS;  28ª Região Policial com sede em Carazinho;  Exército Brasileiro, por meio do 22º Grupamento de Artilharia de Campanha, Brigada Militar por meio do 1º Batalhão de Polícia de Fronteira.


Vale ressaltar que tal operação visava desarticular uma organização  criminosa  que praticava o crime de lavagem de dinheiro oriundo, principalmente  da contravenção penal de jogos de azar. No decorrer das investigações foi constatada outra organização criminosa que seguia nessa mesma linha.

Os crimes imputados aos suspeitos ainda estão na fase de investigação, mas se trata de grandes movimentações de dinheiro  e bens móveis e imóveis que caracterizou a lavagem de dinheiro, além de uma hierarquia, com funções específicas a qual identifica a organização criminosa. Uma parte dos referidos bens foram objeto de restrição judicial por meio de bloqueio de  contas dos principais investigados. Além disso, foram objeto de restrição os veículos utilizados por esses e imóveis.

A investigação da DRACO durou cerca de um ano e está robustamente cercada de provas dos ilícitos praticados pela organização.

A Polícia Civil investigará ainda, com base nas apreensões oriundas da busca, a participação das organizações em outros crimes, como sonegação fiscal, etc. 

O modus operandi ou modo de agir da organização: eram locados espaços comerciais os quais serviam para a prática da contravenção, a qual estava escancarada por vários bairros da cidade tendo por nome “central do apostador". As apostas eram feitas por meio eletrônico com máquinas. Após isso se iniciava o recolhimento dos valores oriundos das apostas. Uma parte dos  valores era depositados em contas variadas e com ele eram adquiridos bens móveis e imóveis para os investigados e pessoas de suas relações. Também está  sob investigação outra organização criminosa para a mesma prática com o nome de Estrela da Sorte. 


As investigações terão curso a partir das buscas efetuadas ontem, contando com informações da comunidade de Uruguaiana, Barra do Quaraí e Cruz Alta que embasaram os procedimentos policiais.



A Operação contou com a participação de 85 Policiais Civis e 30 Policiais Militares em Uruguaiana e Barra do Quaraí, além de 55 policiais civis na cidade de Cruz Alta, estes últimos apoiados por policiais de Ijuí e Carazinho.


As apreensões em Cruz Alta foram as seguintes:

Cerca de mil Reais em dinheiro vivo (cédulas e moedas)

14 telefones celulares

Dezenas de blocos de apostas

Dezenas de recibos de apostas

Dezenas de envelopes de bancos para depósito

11 máquinas para apostas

Dezenas de rolos de papel para as máquinas

09 cadernos

04 calculadoras

14 cartazes (banners) de apontamento de resultados

01 tablet

03 pendrives

01 CPU

Recibos de aluguel


Contas de energia elétrica

Fonte: Polícia Civil RS

AUTO PANANMBI
Anuncie conosco
(55) 3322-7222
© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface