Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Começam articulações para eleição ao governo gaúcho em 2022

Publicada em 28/12/2020

  • Começam articulações para eleição ao governo gaúcho em 2022

Mesmo que 2022 ainda pareça distante, que o país tenha um 2021 de muitas incertezas pela frente e que os recém-eleitos para prefeituras e Câmaras de Vereadores ainda nem tenham tomado posse, começaram as articulações para as eleições de 2022 entre políticos e partidos em solo gaúcho. No RS, assim como em outros estados, se repete o que ocorre na disputa pela presidência da República, na qual uma sucessão de movimentos, parte deles imperceptível aos eleitores, já está em curso.

Neste 2020, para além do prazo não oficial que simboliza o início das discussões da eleição seguinte – sempre quando a do ano em curso termina – o fator pandemia também apressa o processo futuro. Escaldados por campanhas municipais ‘diferentes’ em função de todas as consequências do coronavírus, lideranças e dirigentes políticos das grandes legendas asseguram que é preciso se “antecipar”, para tentar “evitar surpresas”.

No RS, por enquanto, os sinais mais visíveis partem justamente dos dois partidos que estão entre os maiores tanto em número de filiados como em prefeituras conquistadas no pleito recente: o PP e o MDB. Em número de filiados, o MDB lidera e o PP ocupa a terceira posição. Em número de prefeitos eleitos, o PP está à frente, seguido pelo MDB. Ambas as siglas já ensaiam movimentos que, ao mesmo tempo, demonstram sua força e as descolam do atual governo tucano. O MDB, principalmente por meio de seus posicionamentos na Assembleia Legislativa, onde, apesar de ser o maior partido da base, com oito cadeiras, vem impondo ou negociações ou votos dissidentes aos projetos do Executivo. O PP, que detém a liderança do governo no Legislativo, através de indicativos que já começam a ultrapassar as posições divergentes adotadas por parte da bancada. Como, por exemplo, o movimento na Casa Civil, que deixará de ser comandada por Otomar Vivian no início do próximo ano.

Para além das articulações explícitas ou de bastidores, um cenário está dado neste final de 2020 quando é posto na mesa o conjunto de nomes que despontam para concorrer ao governo. A corrida será disputada por políticos tradicionais e/ou experientes. “Tudo que vem acontecendo aí serviu para mostrar que vale muito aquele nosso ditado: ovelha não é pra mato”, resume um emedebista já envolvido nas negociações.

Fonte: Correio do Povo

TAVOLA ASSESSORIA IMOBILIARIA
UNINTER
ROSMER PALACE HOTEL

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface