Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

É provavel que a vacina da Pfizer seja eficaz contra nova cepa do coronavirus

Publicada em 22/12/2020

  • É provavel que a vacina da Pfizer seja eficaz contra nova cepa  do coronavirus

WASHINGTON — Ugur Sahin, chefe do laboratório alemão BioNTech, que, em parceria com a americana Pfizer produziu a primeira vacina aprovada internacionalmente contra a Covid-19, afirmou em entrevista nesta terça-feira que "é muito provável" que a atual vacina seja totalmente eficaz contra a nova cepa detectada no Reino Unido, mais contagiosa e que provocou o temor de um aumento dos casos.

— Cientificamente é muito provável que a resposta imunológica provocada pela vacina possa servir para esta variante do vírus — afirmou Sahin, que fundou com a esposa, Özlem Türeci, o laboratório BioNTech.

Ele anunciou ainda que poderia fornecer uma vacina adaptada à nova linhagem do vírus "em seis semanas".

— Tecnicamente somos capazes de fornecer uma nova vacina em seis semanas — disse Ugur Sahin, cofundador do laboratório alemão. — A beleza da tecnologia do RNA mensageiro é que podemos diretamente começar a conceber uma vacina que imita fielmente a nova mutação.

Sahin apresentou razões para seu otimismo: a vacina desenvolvida em parceria com a Pfizer "contém mais de 1.000 aminoácidos e apenas nove deles sofreram mutação, o que significa que 99% da proteína é sempre a mesma".

Dentro de duas semanas, a BioNTech pretende publicar as conclusões de estudos realizados com esta variante do vírus, segundo o cientista.

Moderna já iniciou novos testes

O laboratório americano Moderna, que desenvolve outra vacina contra a Covid-19, informou também nesta terça que está testando sua fórmula contra a nova linhagem. A informação foi divulgada nesta terça-feira pela rede americana CNN.

A Moderna acredita que a imunidade de sua vacina proporcionará proteção contra a variante e realizará mais testes nas próximas semanas para confirmar, disse a empresa em um comunicado à emissora dos Estados Unidos.

A Pfizer disse que está "gerando dados" sobre o quão bem amostras de sangue de pessoas imunizadas com sua vacina "podem ser capazes de neutralizar a nova linhagem do Reino Unido", de acordo com a reportagem.

Pfizer e Moderna não responderam de imediato a pedidos de comentário da Reuters.

A descoberta da nova variante semeou uma nova onda de pânico em meio a uma pandemia que já matou cerca de 1,7 milhão de pessoas e infectou mais de 77,15 milhões em todo o mundo. A principal preocupação é que a nova variante tem se mostrado de 40% a 70% mais transmissível.

Cientistas disseram que não há indícios de que a vacina feita pela Pfizer e pela BioNTech, que está sendo atualmente aplicada no Reino Unido, assim como outros imunizantes em desenvolvimento contra a Covid-19 em todo o mundo não protegerão contra esta variante, conhecida como linhagem B.1.1.7.


Fonte: Globo.com

UNINTER
Coxilha Nativista 2
ROSMER PALACE HOTEL

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface