Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Cruz Alta passa a integrar o Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021

Publicada em 10/09/2019

  • Cruz Alta passa a integrar o Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021

O Ministério do Turismo por meio do Programa de Regionalização do Turismo e dos Interlocutores Estaduais do PRT, certificou Cruz Alta na categoria C e agora Cruz Alta passa a integrar o Mapa do Turismo Brasileiro no período de 2019 a 2021, através da Portaria nº 271.

A certificação emitida é fruto de uma série de medidas que a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo vem adotando desde 2017 e que permitiu além da inserção do município no Mapa, a ascensão dele em três posições no ranking. Com isso, o poder público municipal agora está apto a captar investimentos específicos para a área do Turismo.

Entre os diversos benefícios que a captação destes recursos pode oferecer à comunidade local, estão a revitalização de prédios históricos, execução de rotas turísticas e projetos culturais que trazem investimento e retorno financeiro para Cruz Alta.

Para a secretária de Cultura e Turismo Laura Durigon Ajala, tais conquistas surgem do trabalho desenvolvido pela pasta, cujo intuito é colocar Cruz Alta no cenário turístico e cultural do país. “Somos sabedores do valor histórico que temos e vimos que a cidade não estava explorando essa condição de forma que beneficiasse nossa comunidade. Atualmente a condição é outra, a reinserção do município ao Consórcio Rota das Terras Encantadas e a implementação do Conselho de Turismo nos possibilita a buscar os recursos e fomentar a economia local e aumentando a autoestima dos cruz-altenses”, comenta.

Entenda a categorização dos municípios que integram o mapa do turismo brasileiro em 2019:

Objetivo: instrumento para identificação do desempenho da economia do turismo dos municípios que constam no Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento, previsto como uma estratégia de implementação do programa de Regionalização do Turismo, permite tomar decisões mais acertadas e implementar políticas que respeitem as peculiaridades dos municípios brasileiros.

Resultados para o Rio Grande do Sul

Distribuição (%) por Categoria:

- Categoria A (2): 0,58%

- Categoria B (22): 6,38%

- Categoria C (40): 11,6%

- Categoria D (198): 57,4%

- Categoria E (83): 24,1%

TOTAL: 345 municípios categorizados/regionalizados

VARIÁVEIS UTILIZADAS NA DEFINIÇÃO DAS CATEGORIAS (Portaria 249, de 01/08/2019, publicada no diário oficial da união, dia 02/08/2019):

I – número de estabelecimentos formais cuja atividade principal é hospedagem (RAIS - Relação Anual de Informações Sociais/Ministério do Trabalho e Emprego 2017, ano-base 2016);

 II – número de empregos formais no setor de hospedagem (Relação Anual de Informações Sociais – RAIS/Ministério do Trabalho e Emprego 2017, ano-base 2016);

III – estimativa de turistas a partir do Estudo de Demanda Turística Doméstica (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE/Ministério do Turismo 2012, ano-base 2011); 

IV – estimativa de turistas a partir do Estudo de Demanda Turística  Internacional (FIPE/Ministério do Turismo, 2017, ano-base 2016); e

V – Arrecadação de impostos federais (IRPJ, CSLL, Cofins, Pis/Pasep, Imposto de Renda na Fonte e Receita Previdenciária – tanto a parte do empregado quanto da empresa) a partir dos meios de hospedagem (fonte: Secretaria da Receita Federal/ME 2017, ano-base 2016) (46municípios)

Por questão de sigilo de informações, a Secretaria de Receita Federal não informa a arrecadação de impostos de municípios com menos de 09   estabelecimentos classificados na CNAE 5510-8 referente a hotéis e similares. Para estes municípios, optou-se por estimar a arrecadação a partir da média ponderada pelo quantitativo de ocupações formais.

Fonte: Ascom Prefeitura de Cruz Alta

Anuncie conosco
(55) 3322-7222
© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface