Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Vereador de Cruz Alta será indiciado por corrupção passiva

Publicada em 21/08/2019

  • Vereador de Cruz Alta será indiciado por corrupção passiva

Foi remetido ao Poder Judiciário nesta quarta-feira, 21 de agosto, o inquérito feito pela Polícia Civil, a respeito de crime, em tese, de corrupção passiva investigado em Cruz Alta, relacionado a Airton Natividade Lencina, "Kátia Ross", vereador em exercício de mandato neste município. 

De acordo com o Delegado Josuel Muniz, que comandou a investigação, os fatos denunciados aconteceram entre abril de 2018 e março de 2019, em aproximadamente onze ocasiões diferentes, na Câmara de Vereadores.

Os episódios relatados chegaram ao conhecimento da autoridade através de uma denúncia feita pelo ex-chefe de gabinete.

Na denúncia, consta que o Vereador solicitou ao "denunciante" e à outra funcionária do gabinete que contribuíssem com parte dos seus salários, para que o parlamentar pudesse contratar um motorista particular, não vinculado à Casa Legislativa.

Ainda de acordo com a denúncia, após um período efetuando as contribuições, o funcionário decidiu que não mais pagaria o valor mensal, resultando assim em sua demissão.

Outra denúncia feita é de que o vereador se apropriava da verba de gabinete, que deveria ser destinada à aquisição de material de expediente, como café, água, gasolina, material de higiene e limpeza, e que acabava tendo tais despesas arcadas pelos assessores. 

Diante destas e de outras denúncias feitas no inquérito remetido hoje ao Judiciário, o Delegado entendeu então que se demonstrou a materialidade e autoria do crime de corrupção passiva, ao qual o Vereador Airton Natividade Lencina, "Katia Ross", será indiciado.


DEFESA

Procurado,  o Advogado de Defesa Pedro Correa, emitiu a seguinte nota: "A defesa se manifesta no sentido de tranquilidade, posto que o vereador é inocente e foi vítima de ardilosa armação. Também e muito importante frisar que o Delegado fala sobre o indiciamento mas não se reporta a nenhuma prova da materialidade e autoria delitiva, ou seja, não apresenta uma justa causa para a tramitação de uma ação penal. A manhã 12h poderei falar sobre a versão e o entendimento técnico da defesa."

O Advogado estará ao vivo no programa "Nos Bastidores", ao meio-dia da quinta-feira, 22 de agosto. A entrevista será transmitida ao vivo nesta fanpage.



Fonte: Amauri Rodrigues/Bianca Conrad - Jornalismo Rádio Cruz Alta

Anuncie conosco
(55) 3322-7222
© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface