Estamos Ao Vivo
Estamos Ao Vivo
Grupo Pilau

Rodoviários e motoristas de aplicativos prometem parar Porto Alegre

Publicada em 29/01/2020

  • Rodoviários e motoristas de aplicativos prometem

Insatisfeito com as propostas apresentadas pela prefeitura, o Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre (STETPOA) decidiu na tarde de terça-feira entrar em estado de greve. Em reunião com entidades representativas de motoristas de aplicativos, os rodoviários definiram uma série de mobilizações nos próximos dias e prometeram 'parar a cidade' na quinta-feira, 30, para impedir que os projetos encaminhados pelo Executivo sejam votados na Câmara municipal. A categoria, que reúne 3,6 mil cobradores de ônibus, garante que os sindicalistas vão ocupar garagens das empresas de ônibus da Capital.

O pacote com cinco projetos que alteram radicalmente o transporte público de Porto Alegre é classificado pelo governo como uma necessidade de ação. Gestado desde maio de 2019, as medidas impactam diretamente na tarifa e visam dividir mais a conta com a população. Para isso as propostas incluem criação de novas taxas voltadas aos motoristas e empresas de transporte de aplicativo, até uma mudança no sistema da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). 

Duas das medidas são as mais polêmicas: a que propõe taxação das corridas de aplicativos e a cobrança para motoristas que venham de outras cidades. Taxas sobre carros de aplicativos e emplacados fora de Porto Alegre deve reduzir passagem de ônibus.

O secretário municipal de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello explicou que a proposta se aplica apenas aos aplicativos porque os táxis já pagam outras taxas e têm os valores regulamentados pela prefeitura. Ao falar sobre a taxação de veículos emplacados fora da cidade, a chamada tarifa de congestionamento, o secretário disse que o conceito é buscar alguma contribuição daqueles que não pagam impostos diretos ao município. “Vamos tarifar para o uso de 70 mil veículos que entram e não pagam o IPVA.” O dinheiro arrecadado com a tarifa, projetada para ser de R$ 4,70, impactaria diretamente no preço da passagem. Tortoriello diz que o principal objetivo dos projetos é atrair os passageiros ao transporte público, que vêm sofrendo redução constante nos número de usuários nos últimos anos.


Fonte: Correio do Povo

Anuncie conosco


(55) 3322-7222

© 2019 Grupo Pilau. Todos os direitos reservados.
Portal produzido pela Netface